A exposição “Romeiros do Curral”, um trabalho de André Moniz, Laura Aguilar e Lourenço Baptista, estará patente no Centro Interpretativo do Caminho de Ferro do Monte, até ao dia 9 de novembro.

Esta é uma exposição e documentário sobre o passado e os costumes dos moradores do Curral dos Romeiros.
O trabalho compreendeu dois momentos: um de investigação, no qual foram conduzidas entrevistas gravadas aos curralenses, e outro que consistiu numa exposição de objetos e fotografias antigas dos intervenientes, relacionando-se com a cultura e história da localidade.
Através das entrevistas gravadas, foi elaborado um documentário que será disponibilizado online nas redes sociais do Teatro Municipal Baltazar Dias e que também integrará a exposição.
Esta mostra visa desenvolver um espírito de comunidade através do exercício de ouvir e contar histórias, como é costume entre avós e netos, ou pais e filhos.
O projeto surgiu da vontade de investigar e documentar as tradições e o património cultural imaterial da ilha da Madeira, de forma a preservar a herança cultural que nos caracteriza enquanto comunidade.
O foco da investigação é o Curral dos Romeiros que, apesar de fazer parte do Funchal e da sua proximidade ao centro da cidade, é considerada uma zona muito isolada e de difícil acesso. O número de moradores tem vindo a diminuir e com eles se perde a memória coletiva de um povo muito ligado à cultura dos arraiais e das romarias.
Este projeto é uma oportunidade de descentralizar a arte e transmitir que a expressão artística (e a sua presença nas tradições e na cultura) é transversal a locais, povos e gerações. Por isso, o este objeto artístico é sobre e para a comunidade, aproximando e envolvendo-as nas práticas artísticas.

 

Documentário “Romeiros do Curral” | Capítulo 1 – Os Romeiros